20 de out de 2013

Se eu fosse famosa?

Se eu fosse famosa as pessoas me aceitariam como sou, me amariam, me seguiriam no Twitter, acessariam o blog e ficariam aguardando, ansiosamente, uma resposta de alguma pergunta que enviassem no Facebook? 

Se assim o fosse, elas aceitariam o meu cabelo despenteado, minha falta de romantismo, meu olhar cético sobre os fatos, seguiriam meu estilo, se maquiariam como eu, experimentariam doce de leite com café só porque eu gosto, tirariam fotos escondidas quando me vissem em um encontro com alguém, me assediariam na balada e me apoiariam quando caísse fotos minhas, comprometedoras, nas redes sociais?

Se eu conseguisse fama, a legalização da maconha e do aborto viriam novamente a tema, me tornaria uma it girl, teria fotos fashions na Capricho, minhas frases seriam copiadas e difundidas na rede? Se eu fosse famosa as pessoas “pagariam pau” para o meu modo de ser, destrambelhado? Aquelas garotas que me achassem feia e indigna da fama me ameaçariam se eu conseguisse um namorado lindo, fofo e famoso e meus fãs me defenderiam, me enviariam cartas gigantescas, chocolates gourmets e t-shirts descoladas como presente?

Se eu fosse famosa provavelmente eu seria ryca, não precisaria reclamar de falta de grana e nas férias poderia viajar para onde quisesse. Se eu fosse famosa talvez não tivesse os amigos que eu tenho, ou eu poderia ter o dobro deles ou eu não poderia ter nenhum. Porque se eu fosse famosa eu destruiria todo o meu sucesso rapidamente. Pois, pegaria todo o meu dinheiro cairia no mundo, postaria fotos cool no Instagram e ganharia milhares de likes.

Porém, as pessoas não aceitariam me ver bêbada, por exemplo. Me julgariam se eu dissesse que apoio a pena de morte e não condeno uma adolescente que aborta.  Se eu fosse famosa as pessoas iam me exigir ser sorridente o tempo todo, ser tranquila e dar autógrafos a qualquer passeio idiota que eu fizesse. Não aceitariam minha objetividade e falta de paciência.

Se eu fosse famosa eu ficaria metida por alguns dias. É inegável o prazer de ser aplaudido por um desempenho no palco, ver o vídeo seu no Youtube com centenas de visualizações. Mas sinceramente, não sei se estaria disposta a arrasar todos os dias no tapete vermelho.

Ah! Também se eu tivesse fama algumas pessoas me invejariam. Os conhecidos se revelariam meus amigos de infância e os parentes que me odeiam diriam na TV que eu sou um 'doce'. Se eu fosse famosa me jogaria em viagens e festivais de música. Usaria o meu poder para conhecer o Jared Letto e ele não me agrediria por isso. Se eu fosse famosa eu poderia engravidar solteira, aos vinte anos e as pessoas não me condenariam. Em troca teria que dar abraços, correr na orla de uma praia do Rio e esconder que acho as pessoas, na maioria dos acontecimentos, desprezíveis.

Se eu fosse famosa eu não teria tempo para ser feliz, talvez porque eu me sentiria plena ou profundamente infeliz. Tudo ou nada. Talvez, se eu tivesse toda essa fama eu não teria tudo o que eu tenho hoje. Certamente, não estaria na universidade. Não faria estágio, não enfrentaria as grosserias do mundo para uma posição no mercado de trabalho.

Às vezes, me daria vontade de jogar tudo para o alto e não seria certo se eu escrevesse na internet frases como “Vai se fuder!”. Se eu fosse famosa seria copiada e eu não gosto disso. Talvez fosse conhecida pela minha autenticidade, mas também poderia me render às tendências do mercado atual: linda, milionária e sem vida pessoal. Pois é, não dá para eu ser famosa porque tudo o que eu gosto é de ser respeitada dentro do meu silêncio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários ofensivos serão excluídos