30 de dez de 2013

Profissão de porra louca

Mas sabe, escritor é aquele porra louca, sempre meio triste, insatisfeito com Deus e o mundo. Escritor é aquele bêbado que fica deitado na esquina e ninguém percebe quando passa, mas ele te percebe e por isso escreve de todas as bundas que passam rebolando na sua frente, aqueles saltos que pisam em seu dedo mínimo e os ouvidos que nem ouve seu resmungo. Há também aquelas barangas, com metade da barriga pra fora da blusa mas que tem um cheiro incomparável, muito bom.

Coisas que quase ninguém percebe mas nós, escritores, percebemos. Ainda não estou na sarjeta, mas sou bêbada e o legado da vida é ser livre. Vida que nos ensina que para respirar e suportar a rotina um bom conhaque pela manhã faz toda a diferença. Ao contrário, os escritores se tornariam normais. Daqueles que bebem leite quente pela manhã e usam luvas no frio e vão para o trabalho.

Bukowsky que o diga!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários ofensivos serão excluídos